As minhas dicas de Erasmus

No meu último semestre de faculdade tomei a decisão de me candidatar a um programa de Erasmus. Assim, de Janeiro a Junho de 2017 frequentei uma faculdade internacional em Budapeste. Foram meses fantásticos durante os quais aprendi e cresci muito, deste modo, hoje deixo-vos os meus sábios conselhos:

1. Vão!!

Sei como é sentir o receio inicial de estar tanto tempo longe de casa, receio dos diferentes métodos de ensino e das barreiras linguísticas e culturais, especialmente para alguém que, como eu, sempre estudou na sua cidade natal. Compreendo todos esses medos e acredito que todos nós os sentimos, no entanto não deixem que isso vos impeça de tomar a decisão de ir, é uma oportunidade incrível e vão ver que, uma vez no destino, esses medos vão parecer insignificantes e vão ficar orgulhosos da vossa escolha.

Claro que ficamos com saudades de casa, mas estamos sempre apenas a um voo de distância, por isso não se preocupem. Na altura tomei a decisão de não ir nenhuma vez a Portugal porque os voos não eram assim tão baratos e preferi poupar esse dinheiro para viajar.

Por último, quero aconselhar-vos a inscreverem-se apenas quando se sentirem preparados, não existe semestre cedo ou tarde demais. Fui de Erasmus no meu último semestre de faculdade, correu tudo bem e ainda acabei o curso em grande, apesar de várias pessoas dizerem que não era um bom plano. Por isso, não se deixem influenciar.

2. Decision time

Existem diversos fatores que devem pesar na altura de escolher o vosso destino de Erasmus, entre eles: a localização, a cultura, a língua, a segurança e o custo de vida do país em questão e ainda, a faculdade que vão frequentar, a sua reputação e as unidades curriculares que esta oferece.

No meu caso optei por ir para um país no centro da Europa com o custo de vida equivalente ao de Portugal, o que me permitiu viajar bastante. No entanto, a língua revelou-se um grande entrave porque o húngaro é complicado de aprender e não é fácil encontrar pessoas que falem inglês em Budapeste.

Por outro lado, a faculdade que frequentei era internacional, tinha estudantes oriundos das mais diversas partes do mundo, logo toda a gente falava inglês e as aulas eram também lecionadas em inglês.

Na minha opinião, um parâmetros que mais deve influenciar a vossa decisão é o custo de vida do país pois é o que vos vai limitar mais.

3. “Porquinho de Erasmus”

Tendo em conta o ponto anterior, aconselho toda a gente a arranjar um emprego de Verão ou um part-time, de modo a poupar para a sua experiência de Erasmus. É verdade que a bolsa é uma boa ajuda, mas na grande parte dos casos, incluindo o meu, não chega nem para pagar a renda.

Assim, como acabamos sempre por ter mais custos do que o inicialmente esperado porque, para além da alimentação, temos custos associados às frequentes saídas à noite, aos jantares, etc e até para conseguirem viajar ao máximo, é importante terem um “porquinho de Erasmus”.

Tinha realizado um estágio de Verão antes de ir para Budapeste e isso permitiu-me estar economicamente mais confortável.

4. Procurar estadia pessoalmente

Pode ser difícil e frustrante tentar arranjar alojamento à distância, sobretudo num país como a Hungria onde não existem sites de alojamento para estudantes e as pessoas falam pouquíssimo inglês. Deste modo, optei por ir para Budapeste mais cedo e ficar 15 dias hospedada num apartamento do Airbnb para visitar pessoalmente apartamentos e ao mesmo tempo perceber quais as melhores zonas para se viver na cidade. Conclusão? Quando enviava mensagem ou ligava aos inquilinos a dizer que estava na cidade e que queria ver o apartamento para aluguer imediato, fui levada mais a sério e obtive muitas mais respostas. Assim, visitei várias casas e escolhi calmamente a que mais me agradou. Mais tarde, acabei por me aperceber que tinha feito um negócio melhor do que o dos meus colegas de faculdade.

Outro conselho que vos dou é optarem por um alojamento com despesas fixas incluídas. Deste modo, não têm de se preocupar em pagar a conta da água, da luz e da internet, não têm surpresas desagradáveis e, em adição, conseguem estimar melhor os vossos gastos mensais.

5. Aproveitar para viajar

Uma das melhores oportunidades que o Erasmus me proporcionou foi a possibilidade de viajar. Como apostei num país que fica no centro da Europa, isso permitiu-me conhecer diversos países vizinhos a preços acessíveis, uma vez que as viagens de autocarro, embora longas e cansativas, são muito em conta. Diverti-me e aprendi imenso durante as minhas viagens e fui a cidades que provavelmente nunca escolheria como destino, se partisse de Portugal. Assim, aproveitem ao máximo esta vertente de Erasmus.

Importa ainda mencionar que devem, não só viajar para outros países como viajar dentro do próprio país para experienciarem e ficarem a conhecer, ainda melhor, a cultura do destino selecionado.

Para mais dicas sobre este tema vejam este post.

6. Levar uma boa máquina fotográfica

Tudo bem que os telemóveis estão cada vez mais evoluídos e vêm incorporados com câmaras cada vez melhores, no entanto nada se compara às fotos tiradas com uma boa máquina fotográfica e embora sejam mais pesadas e menos práticas de transportar do que um telemóvel, acreditem que compensa. A experiência de Erasmus é algo único que nunca vão esquecer, por isso, registem todos os momentos!

7. Viver intensamente

Embora inicialmente vos pareça que 6 meses é muito tempo, acreditem que passa a correr! Por isso, não recusem uma saída à noite só porque têm aulas no dia seguinte de manhã, não estejam sempre com a cabeça nos livros e arrisquem tudo numa viagem na véspera de um exame… Qualquer pessoa que passe por esta experiência tem histórias para contar, corram atrás da vossa!

. . .

Espero que este post vos tenha ajudado e incentivado a abraçarem esta aventura.

Para aqueles que já foram, desafio-vos a contarem-me as vossas melhores peripécias nos comentários.

Advertisements

4 Replies to “As minhas dicas de Erasmus”

  1. Adorei ler este post, especialmente porque vou em breve para a Holanda em Erasmus e é sempre bom ver as dicas de alguém que já teve essa experiência.
    Decidi à pouco tempo começar também um blog para falar um pouco da minha futura experiência e adorava que desses uma espreitadela!
    Beijinhos 🙂

    Liked by 1 person

  2. Obrigada querida, fico feliz por poder ajudar. Já visitei a tua página e gostei muito, continua e boa sorte! Estive recentemente em Amsterdão e adorei, a Holanda é um país fantástico, de certeza que vai ser uma experiência inesquecível.
    Beijinhos 🙂

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s