Budapeste

Sei que já se deviam estar a questionar sobre quando escreveria este post… Embora tenha passado 6 meses na magnífica cidade de Budapeste, achei por bem, esperar até ao final da minha experiência de Erasmus para escrever um post o mais completo possível, para que aproveitem ao máximo este destino espetacular.

Assim, preparem-se para um post longo, mas o mais resumido possível, pois por mais que tente é-me impossível descrever tudo aquilo que há para ver e fazer de modo a fazer o devido jus a todas as atrações.

Então vou começar por enumerar o meu top 15. No entanto, antes de o fazer, é importante que saibam que Budapeste, tal como o Porto, é atravessada por um rio, o rio Danúbio e à semelhança de Porto e Gaia, a capital húngara é constituída por 2 regiões, Buda e Peste, que em 1873 se uniram e deram origem a uma única cidade.

Esta explicação é pertinente, uma vez que vou dividir o top 20 em 2 partes, uma relativa às atrações de Buda e outra às de Peste, para facilitar a visita à cidade.

TOP 20
/ / / BUDA / / /
1. CITADELLAcitadella.jpg

Para usufruir de uma vista fabulosa da cidade, sobe até à Citadella, saindo na paragem de metro da linha verde, Szent Gellert, junto ao hotel Gellért, com as famosas Gellért Baths.

A Citadella foi inicialmente construída como ponto de vigia, tendo inclusive um bunker russo que funciona como um museu e que pode ser visitado por 1200 florints. Para além desta fortaleza, a Citadella é também conhecida pela Estátua da Liberdade, um símbolo da conquista da Hungria pelos soviéticos, durante a II GM. 

2. CASTELOcastelo.jpg

Atualmente, o Castelo é casa de 3 museus nacionais: o Museu de Arte Húngara, o Museu de História e o Museu Militar. Para aqui chegar podem apanhar o funicular que, embora seja muito bonito, não aconselho porque considero caro para uma viagem de 30 segundos e a subida até ao Castelo é fácil e rápida.

3. BASTIÃO DOS PESCADORES E IGREJA MATTHIASbastiao-dos-pescadores.JPG

Do Castelo ao Bastião pode-se ir a pé, alternativamente podem apanhar o autocarro 16 em Déak Ferenc tér e sair na paragem Szentháromság tér. O Bastião é o meu sítio preferido em Budapeste, pois considero que tem uma vista sem igual para o Parlamento.

igreja-mattias-budapeste.JPG

Localiza-se perto da Igreja Matthias, a igreja onde eram coroados os reis da Hungria. Para visitarem esta igreja consultem preços e horários aqui.

Para regressar ao centro da cidade basta apanhar o mesmo autocarro na paragem do outro lado da rua.

4. COMBOIO DAS CRIANÇASDSC_0379.jpg

O comboio das crianças é uma linha de comboio muito peculiar, no qual são crianças que nos picam o bilhete e tratam de todos os aspetos relacionados com a viagem,  só são permitidos adultos a bordo se forem passageiros. É super engraçado e vale muito a pena o passeio, não só pelas crianças como pelo percurso maravilhoso que o comboio faz pela da natureza.

Para apanhar este comboio têm de entrar no tram 61 em Széll Kálmán tér em direção a Hüvösvölgy e sair na última paragem, subir umas escadas, andar para a esquerda e em seguida, virar à direita e estarão na estação de comboio. Para saber preços clica aqui.

5. ELIZABETH LOOKOUT E CHAIRLIFTIMG_20170512_201623_411.jpg

Este é o ponto mais alto da cidade, daqui vemos, à distância, as principais atrações de Budapeste, como se fossem pequenas peças de brincar. Para aqui chegar podem apanhar o comboio das crianças até à paragem Chairlift/Libego, subir as escadas, virar à esquerda e andar sempre em frente até verem um parque infantil. A partir daí, vão encontrar 1 rampa de subida até ao lookout.

elizabeth-lookout.jpg

A subida não é fácil, por isso, preparem-se para exercitar um pouco os músculos e, por muito que custe, não desistam, porque a vista vale a pena! Esta atração é gratuita.

Para voltar à cidade basta apanharem a Chairlift, mesmo em frente ao parque infantil, antes do lookout. A Chairlift é uma daquelas cadeiras para 2 que vemos nos resorts de ski para transportar as pessoas até ao topo da montanha. Consulta os preços aqui. No final do percurso basta apanharem o autocarro 291, com destino a Nyugati Pályaudvar e rapidamente estarão no centro de Budapeste.

chairlift-budapest.jpg

Outras alternativas possíveis são: dispensar o comboio das crianças e apanhar a Chairlift na subida e na descida até ao lookout; dispensar a Chairlift e apanhar de novo o comboio das crianças até à cidade; ou ainda, fazer o percurso inverso, ir de chairlift até o lookout e regressar à cidade no comboio das crianças, vocês escolhem. No entanto, aconselho vivamente o percurso inicialmente indicado, pois considero ambas as atrações imperdíveis e a descida na chairlift é mais interessante do que a subida, já que durante descida tem-se vista para a cidade.

/ / / PESTE / / /
6. Váci streetvaci-utca.JPG

Esta rua é a baixa de Budapeste, aqui podemos encontrar todas as lojas que adoramos como a Zara, a Mango, a Stradivarius, etc. É uma rua bastante movimentada, na qual existe sempre algo a acontecer, quer sejam espetáculos de rua ou feirinhas de comida ou de artesanato. Para aqueles que façam coleção de peças do Hard Rock, é nesta rua que se localiza a loja.

7. “SAPATINHOS”IMG_5705.jpg

Um pouco antes de chegarmos ao Parlamento, deparamo-nos com este belo memorial em homenagem aos judeus que, durante a II GM, foram atirados ao rio Danúbio para morrer. Assim, antes de visitarem o Parlamento não se esqueçam de prestar a vossa homenagem.

8. PARLAMENTOIMG_20170418_214147_837.jpg

Este é um dos edifícios mais bonitos da Hungria e o segundo maior Parlamento da Europa. Todos os dias às 18h30 há a descida da bandeira nacional, um espetáculo sem igual, assim, aconselho-vos a visitarem o monumento a essa hora.

O melhor local para observarem o Parlamento e tirarem o estilo de fotos que vêem em baixo é do outro lado do rio, mais precisamente na paragem da linha vermelha do metro (linha 2) Batthyány tér.

parlamento-hungaro.jpg

Atenção que para entrar no parlamento é necessário comprar bilhetes online com antecedência, uma vez que não são vendidos bilhetes no recinto e esta visita tem muita procura. Outro aspeto a mencionar é que no site temos várias opções de visitas guiadas em línguas diferentes. Na altura enganei-me e marquei a minha em húngaro (eu bem que achei estranho porque era a única que tinha vagas, mas não me apercebi), por sorte existia uma visita em espanhol à mesma hora e fui com esse grupo, caso contrário não teria percebido patavina da visita, por isso tenham cuidado quando selecionarem a vossa.

Reserva o teu bilhete aqui.

9. CHAIN BRIDGErapariga_a_sorrir_ponte.JPG

A cidade de Budapeste tem inúmeras pontes, todas elas foram destruídas durante a II Guerra Mundial para, mais tarde, serem reconstruídas no mesmo estilo antigo, à excessão da ponte Elizabeth (a ponte branca que liga o mercado à Citadella), que foi construída em estilo moderno.

chainbridge-budapeste.jpg

A travessia da Chain Bridge é obrigatória numa visita a Budapeste! Esta ponte de beleza inigualável, com os leões nas pontas a guardar a cidade, à noite enche-se de luz e vida. Durante o Verão vários bares se instalam na zona e as pessoas reúnem-se junto à ponte para observar o pôr do sol, algo que recomendo bastante.

10. SINAGOGADSC_0578.JPG

Neste país que outrora teve uma grande e forte comunidade judaica, ergue-se a maior sinagoga da Europa e a segunda maior do mundo. Imponente e majestosa esta sinagoga sofreu enormes dados e, esteve mesmo para ser destruída, durante a II GM. Felizmente isso não aconteceu e hoje ainda é possível visitá-la. Vê preços e horários aqui

11. BASÍLICA DE SANTO ESTEVÃObasilica-de-sao-estevao.jpg

A colossal Basílica de Santo Estevão é a maior igreja da Hungria, com o maior e o mais pesado sino do país, de 9 toneladas, na sua torre direita. Isto porque, durante a II GM, o sino de 8 toneladas que ali se encontrava, foi fundido para fazer armamento.

A entrada na basílica é gratuita, no entanto, para subir à cúpula e ter uma vista panorâmica sobre a cidade, tem de se pagar um valor simbólico de 600 florints, o equivalente a 2€. Para mais informações acede a este site.

12. MERCADOIMG_5841.jpg

Para além de ser o melhor local para comprar todo o tipo de produtos frescos, o mercado é também o sítio onde podemos comprar souvenirs ao melhor preço. O 1º piso é dedicado a bancas de fruta, de carne e da famosa paprika que eles usam em todos os pratos e o 2º tem as barraquinhas de souvenirs e a zona da restauração, embora não vos aconselhe a comer lá porque é demasiado turístico, os preços são inflacionados e a comida não é assim tão boa.

mercado.jpg

O mercado está aberto todos os dias das 6h às 18h, exceto à segunda que fecha às 17h e ao sábado que fecha as 15h. Aos domingos está fechado.

13. Avenida Andrássy e Óperaopera-budapest.jpg

Caminhando pela Avenida Andrássy, a rua de lojas chiques como a Louis Vuitton, a Burberry, a Gucci, a Rolex, etc, vão encontrar um belo edifício amarelo: a Ópera Húngara. A avenida Andrássy, larga e recheada de construções majestosas, foi considerada património mundial da UNESCO em 2002 e devem percorrê-la do princípio ao fim, vai desde o centro da cidade (Déak Ferenc tér) até à Praça dos Heróis! Quanto à Ópera, podem e devem entrar no hall de entrada para observar as belas pinturas no teto e as suas paredes de pedra. Contudo não aconselho a visita guiada, é super curta e, pelo preço, acaba por não valer a pena.

14. Terror Házaterror-haza.JPG

Também na Avenida Andrássy, outra atração que pode ser interessante, nomeadamente, para quem gosta de História é o museu Terror Háza, antiga sede do partido Nazi e da ditadura comunista. É um museu super completo, a um preço acessível que nos mostra o quão marcada a Hungria foi pela guerra, sendo primeiro ocupada pelos nazis e em seguida, pelos soviéticos. A sala de tortura, na cave, foi preservada e conseguimos ver as condições miseráveis em que eram mantidos os prisioneiros. Recomendo a visita.

15. PRAÇA DOS HERÓIS IMG_20170504_204939_853.jpg

No final da Avenida Andrássy, ladeada pelo Museu das Belas Artes, à esquerda e pelo Palácio da Arte, à direita, a Praça dos Heróis é uma praça ilustre de Budapeste, memorial aos líderes fundadores da Hungria e via de acesso ao parque da cidade.

16. Castelo VajdahunyadDSC_0125-cópia.JPG

Andando mais um pouco, depois da Praça dos Heróis, deparamo-nos com o Castelo Vajdahunyad que foi inicialmente construído em 1897, em papelão e madeira, para comemorar os 1000 anos da Hungria. Contudo, fez tanto sucesso que mais tarde o reconstruíram em pedra.

O monumento incorpora os estilos arquitetónicos de mais de 20 edifícios famosos que outrora fizeram parte da Hungria, como o castelo de Hunyad, na Transilvânia, hoje território romeno. O nome Vajdahunyad, inclusive, faz menção ao castelo de Hunyad.

Hoje, o Castelo é palco do Museu da Agricultura Húngara. Sabe mais sobre carregando neste link.

17. TERMAS02365700.JPG

Uma das maiores atrações da Hungria são as águas termais que existem no seu território. Durante o meu Erasmus tive a oportunidade de experimentar 3: os Gellért Baths, os Rudas Baths e os Széchenyi Baths. Estes últimos banhos mencionados são os mais conhecidos, os mais famosos e também os meus preferidos. No entanto, importa dizer que os Rudas Baths têm um jacuzzi com uma vista incrível para a cidade, fiquei lá durante 1h apenas a contemplar os barquinhos a passar. Assim, se conseguirem, visitem estes 2 banhos termais.

Quem nunca foi a piscinas de água termal que não estranhe o cheiro um bocado forte e a água turva. A água não está suja, é mesmo característico das termas. Os preços andam todos a volta dos 15€ por dia.

Recomendo-vos a tirar partido dos banhos no vosso último dia de estadia na cidade, assim, depois de muito andar e explorar, terão a oportunidade de relaxar e repor energias, chegando como novos a casa.

18. Linha amarela do metro (linha 1)metro-budapest.JPG

Esta linha do metro de Budapeste, fundada em 1896, é a segunda linha de metro mais antiga da Europa, a seguir ao metro de Londres. As suas estações amorosas, forradas a azulejos e as suas pequenas carruagens amarelas, tornam a experiência de andar de metro muito agradável, ao contrário de algumas linhas de alguns países.

vorosmarty-utcza-placa.JPG

Esta linha vai desde a Váci street até as termas Széchenyi, percorrendo a Avenida Andrássy. Para estarem frente a frente com um pedaço de História, saiam na paragem Vörösmarty utca com direção a Vörösmarty tér e observem à entrada do metro, depois de descer as escadas, a placa de metro original, onde se pode ver a palavra ‘rua’ (utca) ainda escrito com z: utcza.

19. ILHA MARGARIDAilha-margarida-budapeste.jpg

Do nada, a meio do rio Danúbio, entre Buda e Peste encontramos uma ilha, sim, uma ilha!! Este é o local preferido dos moradores de Budapeste e é onde eles vêm para relaxar, passear o cão, fazer pique-niques, andar de bicicleta, correr, etc. Ao longo da ilha existe uma pista de atletismo com 3,5km frequentada por muitos atletas. Fora a pista de atletismo, na ilha existe ainda um Jardim Japonês, com nenúfares e uma incrível cascata; um enorme complexo de piscinas e escorregas aquáticos chamado Palatinos e uma fonte musical (estas últimas 2 só entram em funcionamento no Verão).

A ilha tem 2 acessos, um através da ponte Margaret, na paragem Margitsziget do tram 4 e 6 e outra em Árpád híd. Existe um autocarro, que se apanha em Nyugati Pályaudvar (em frente ao maior shopping de Budapeste, o WestEnd) que atravessa a ilha, assim, se não quiserem caminhar, esta é sempre uma boa opção para ficar a conhecer a ilha.

Aproveitem quando lá forem e espreitem a vista para a cidade da ponte Margaret, do outro lado da rua da paragem Margitsziget, vale muito a pena!

20. SZIMPLA KERTszimpla.jpg

O Szimpla foi o primeiro bar a abrir em Budapeste depois da II GM. Localiza-se no distrito VII e é um ruin bar, com uma decoração deveras fora do vulgar… Isto porque, o bar começou por ser decorado com objetos do dia-a-dia que as pessoas já não usavam e, por isso, ofereciam. Devido a isto, hoje podemos encontrar lá os objetos mais aleatórios de sempre como: um coelho gigante, uma banheira, retratos antigos, etc. Uma coisa vos prometo, é um bar como nunca antes viram, visitem!

modelo-no-szimpla.jpg

Se gostarem deste estilo, fiquem então a saber que ao lado do bar existe a loja do Szimpla, onde podem comprar souvenirs ou presentes mais alternativos.

/ / / ONE DAY TRIP / / /
SZENTENDREDSC_0207.JPG

Apenas a uma distância de 45min do centro de Budapeste, podemos encontrar esta simpática vila com casinhas engraçadas. É uma viagem interessante para fugir à confusão e ao burburinho da cidade e para aqui chegar, basta apanhar o tram 4 ou 6 com direção a Széll Kálmán tér, sair na paragem Marget Hid e trocar para a linha H5, saindo na última paragem: Szentendre. O passe dos transportes não funciona até esta zona da cidade, no entanto não se preocupem porque podem comprar o bilhete a bordo do tram H5. Já não me recordo do preço, mas deve andar a volta do equivalente a 1,20€ – 1,50€.

VISEGRÁDDSC_0150.JPG

Esta cidade no norte da Hungria tem um castelo medieval no topo de uma colina com uma vista incrível para a natureza. Adicionalmente aqui podem andar num trenó estilo montanha russa super divertido.

BALATONDSC_0778.JPG

O Balaton é um dos maiores lagos da Europa e é apelidado de “mar da Hungria”. Este é um dos destino de férias mais populares entre os húngaros e é fácil de compreender porquê! Aqui têm a possibilidade de nadar com os cisnes nas suas águas azuis e quentes, enquanto se perdem a admirar as montanhas ao longe.

O lago é mesmo muito grande e existem várias zonas que podem visitar, na altura fui a Siófok e cheguei lá apanhando o comboio na estação Déli Pályaudvar, última paragem da linha vermelha (linha 2) do metro. Um último conselho que vos dou, é para visitarem o Balaton na Primavera/Verão, caso contrário não vão conseguir aproveitar todas as suas potencialidades, pois não vão poder nadar no lago devido ao frio.

/ / / WHERE TO EAT? / / /
REFEIÇÕES

Bellozzo: restaurante Italiano, o meu restaurante preferido em Budapeste $.

Zing Burger: os melhores hamburgers da cidade. É uma cadeia por isso está em diversas localizações $.

Pad Thai Wok Bar: cadeia de comida tailandesa com vários estabelecimentos, semelhante ao Wok to Walk $$.

Mazel Tov: restaurante Judaico, super giro, com música ao vivo. Convém reservar $$.

Dionysos: Restaurante Grego $$$.

LANCHES

Cat Café: um café para os amantes de gatos, onde podem tomar um Catpuccino enquanto estão rodeados por estes felinos $.

Mr.Funk e Donut Library: donuts para todos os gostos $.

New York Café: antigo palácio com bolinhos deliciosos, vale a pena a visita $$$$$.

Comida típicachimney-cake.jpg

Não aprecio muito a comida húngaro, no entanto aconselho-vos a provar o Lángos, o Goulash e o Kürtőskalács, também conhecido como Chimney Cake. O melhor estabelecimento para provar este último é o Molnár’s Kürtőskalács, um espaço no final da Váci street, especializado apenas neste doce tradicional $$.

Alguns restaurantes da Hungria têm taxa de serviço, no entanto acho que nenhum dos estabelecimentos mencionados têm, a não ser talvez, o Dionysos.

/ / / WHERE TO PARTY? / / /

Para além do famoso bar Szimpla, anteriormente mencionado, a vida noturna em Budapeste é fabulosa! Existem imensos ruin bars e discotecas, nas quais podem disfrutar de uma boa saída à noite.

Bar 360, um rooftop na Avenida Andrássy com uma vista incrível para a cidade, é uma paragem obrigatória, a visitar tanto de noite como de dia!

Para além disso, aconselho-vos uma ida ao Kuplung, um bar na Király street que tem cocktails incríveis, a metade do preço às segundas-feiras. No entanto, a música aqui não é a melhor, para um estilo de música mais agradável o Fogaz é o local ideal. Por último, o Instant é outro bar interessante que podem visitar.

/ / / HOW MANY DAYS DOES IT TAKE? / / /

Depois das inúmeras visitas guiadas que organizei para os meus familiares e amigos, posso afirmar que, dependendo do que pretendem ver e fazer, considero que 3 dias são suficientes para ver as principais atrações e para uma ida às termas. No entanto, a cidade é maior do que eu esperava e maior do que as pessoas imaginam, por isso, se pretendem ir ao comboio das crianças, ao Elizabeth Lookout e a Chairlift (atividades que aconselho bastante) já vão necessitar de mais um dia, se estiverem interessados em ir à piscina do Palatinos, mais outro, etc.

Assim, 3 dias são suficientes para conhecer a cidade, mas se decidirem passar 1 semana na capital húngara, acreditem que vão ter sempre programa, para além disso, podem andar a um ritmo mais lento.

/ / / BEST TIME TO VISIT / / /

Outono ou Primavera, sem dúvida! No inverno está demasiado frio (do género rio Danubio congelado e ter de usar 2 pares de luvas) e no Verão está demasiado abafado e é muito quente o que não é muito agradável quando se anda muito a pé e torna difícil a visita aos monumentos, sobretudo a subida à Citadella e à Elizabeth Lookout.

/ / / WHERE TO LIVE/STAY? / / /

Em primeiro lugar importa dizer que o melhor lado da cidade para ficar/viver é Peste porque é onde se situa o centro da cidade com todos os bares, restaurantes, lojas, etc. A rede de transportes em Peste é melhor, uma vez que o metro pára de passar às 23h30 e os únicos trams que passam toda a noite (4 e 6) passam em Peste, depois existem autocarros noturnos, claro, mas esta linha de tram é a melhor.

Assim os melhores distritos são o V, VI e VII (sim, a cidade está dividida em distritos estilo Hunger Games ahah). Eu vivi no distrito VI.

/ / / WHERE TO EXCHANGE MONEY? / / /

A moeda na Hungria é o florint, por isso, antes da vossa viagem não se esqueçam de trocar algum dinheiro. Se não o conseguirem fazer, não se preocupem porque em Budapeste existem várias casas de câmbio justas, é apenas uma questão de procurar uma com uma taxa boa e trocar. Para que não sejam enganados lembrem-se que 300 florints equivalem aproximadamente a 1€. 

A melhor casa de câmbio é a Kiani Exchange no início da Király Street, perto de Deák Ferenc, pode parecer um bocado sinistra, mas é onde vão conseguir o melhor negócio.

. . .

ATENÇÃO: Eles são muito chatinhos com o Cartão de Estudante, por isso, certificam-se que o vosso cartão tem uma data válida pois, caso não tenha data (como foi o caso do meu namorado), ou caso tenha apenas a data de início do vosso curso e não a data do ano corrente (como foi o meu caso), as pessoas não vão aceitar o vosso cartão e, portanto, não vão poder usufruir de possíveis descontos de estudante nem do passe de estudante para os transportes públicos, que dá para um mês e é consideravelmente mais barato que passes semanais, etc.

Assim, dirijam-se à vossa faculdade antes da viagem para que vos dê um documento válido.

O passe mensal de estudante custa cerca de 10€A rede de transportes na cidade, no geral, é muito boa e a cidade é muito segura, caminhei diversas vezes sozinha, à noite para casa e nunca me aconteceu nada. Ainda quanto aos transportes, façam o percurso completo do tram 2 porque é encantador. Para mais informações sobre preços dos transportes consulta este site.

Por último, para aqueles que tencionam ir de Erasmus para Budapeste, fiquem a saber que os húngaros falam pouco inglês, que às vezes não são os mais simpáticos e que a língua é super difícil, de resto a cidade é maravilhosa!

Espero que tenham gostado deste post, qualquer dúvida que tenham deixem sobre a forma de comentário.

Boa viagem!

Advertisements

2 Replies to “Budapeste”

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s